segunda-feira, julho 10, 2006

Não gosto de água fria. Pura e simplesmente, não gosto de água fria.

Este é o meu mantra ( Não sabe o que é um mantra? Vá ver ao dicionário) para quando vou à praia, mais especificamente quando vou a praias da Linha.
E porquê?
Bom, a explicação geográfica é que a água que banha a nossa magnífica costa da AML (Área Metropolitana de Lisboa) vem do Atlântico Norte. Logo, gelada. E para uma criatura como eu, a quem o frio ataca impiedosamente, independentemente do meio que usa, ir à praia nestas condições é um suplício, quiçá uma verdadeira aventura.
E porquê?
Bom, porque para mim ir a uma praia inclui a inserção aquática (vulgo "tomar banho no mar"), acto que deverá ser um prazer e não um acto de fé (Ter fé que não morro de hipotermia. Não sabem o que é? Dicionário convosco). Ir-me molhando, sentindo as articulações do meu corpo clamar piedade, para depois mergulhar, dando uma enorme constrição muscular no tronco, de tal forma que torna o respirar doloroso, e sair da água com "pele de galinha", a tremer como uma vara verde ao vento e ter a cara-de-pau, a lata e o descaramento de dizer "Está boa!" não é para mim.

É nesta altura que vocês dizem: "Mas oh Agapito, tu não gostas de água fria? Podes ficar na areia a apanhar Sol...!"
Pois muito bem! Brilhante dedução! Bravo! Eu não teria dito melhor!
Isto seria bom se eu GOSTASSE de apanhar com Sol de chapa, qual febra de porco, a largar gordura (que já tenho escassa), água (que também não tenho muita) e queimando a minha pele de tal maneira a parecer um camarão/lagosta/sapateira.

Pequeno apontamento:

QUANDO A PELE FICA VERMELHA, MESMO QUE NÃO DOA, FAZ MAL!!!
CANCRO DA PELE APARECE QUER VOS DOA OU NÃO!
AS LEIS DA GENÉTICA QUEREM LÁ SABER DAS VOSSAS DORES PARA ALGUMA COISA!

Já para não falar na sensação de pele ressequida, que de agradável não tem nada.

Portanto, para resumir:

Para se disfrutar plenamente duma praia deve haver:
1) água a uma temperatura superior a 20 graus centígrados;
2) areia, preferencialmente;
3) sombra, de maneira que se alterne entre o Sol e a mesma, considerando que o céu está limpo e o Sol é uma constante.

Assim, gosto de praia. De outra maneira, é um horror, e prefiro o campo.
E aí vocês dizem: "Mas oh Agapito, se gostas mais do campo, porque é que vais para a praia?"
Bom, porque a praia está mais perto, não arde, e tem miúdas giras de bikini, num dia bom.

E desta vez é tudo.
Já sabem, alguma crítica, será regida pelas Regras do Primeiro Post.

5 comentários:

O inconformado disse...

Praia

do Prov. playa < Lat. plagiu < Gr. plágios, lado, costa

s. f.,
parte da costa, geralmente coberta de areia, confinando com o mar;
beira-mar;
litoral;
Marn.,
(no pl. ) depósito geral das águas que alimentam a salina.

Ora bem... tendo em conta este significado (que sim, fui buscar ao dicionário! não por ser ignorante, mas por ser um picuínhas bem pior do que tu :p) percebe-se que uma praia é (ou costuma ser!) uma extensão grande de areia com uns quantos litros (aí pós milhares de milhões... ah volta disso) de água salgada à mistura.

Posto isto... onde é que raio queres tu ter sombra? Praia não é oásis. Não há palmeiras (que, diga-se, dão uma sombra de merda), não há toldos e chapéus mágicos a sair da areia de cada vez que o menino quer sentar a peida e estar à sombrinha. Quer sombrinha? Leve chapéu!

O menino não gosta da água porque é fria?... temos pena, vai para uma sauna que lá ao menos sai-te água quente com fartura.

Eh... mariquices dum maricas!

BUH disse...

Caro Inconformado,

"...à volta disso..." e não "ah volta disso"

DUH!

Agapito disse...

Bom, há sombra nos pinhais na praia da Cruz Quebrada, portanto, não estou a ver qual é o problema de sombra.
Eu levo chapéu. Também posso ir para a sombrinha do bar.
E para a parte da água quente, apica-se a Regra Geral do Primeiro Post: é a minha opinião.

Agapito disse...

Ah, pequena falha na escrita:

onde se lê "apica-se", deve ler-se "aplica-se".

Peço desculpa pelo incómodo causado.

O inconformado disse...

Caro buh,

Sou preguiçoso, gosto de poupar acentos...

DUH

Mas para a próxima vou tomar isso em consideração, para não ferir tão susceptível sensibilidade de tão singela pessoa.